quarta-feira, julho 28, 2010

Dos Dias

- Encontrei este texto numa folha solta pelas minhas coisas. Data de 06 de maio de 2004 e traz recordações de um momento muito interessante pelo qual passei. Um momento de mudanças que muito se assemelha aos dias de hoje.
- É um poema bem pausado. Como que escrito por alguém que sente muita dor, mas insiste em escrever assim mesmo. Ode à esperança, talvez? Talvez. Mas realmente não me lembro.
- Se fosse escrito hoje, seria.

Mais outro ano veio
Mais mudanças
Apesar de estarmos ao cabo
Da metade do ano
E das mudanças

Retiro do meu coração
Velhos espinhos
Que me dóem
Não ao retirá-los
Mas pelo vazio que deixam

E novos espinhos
Que penetram
E causam dor
Causam medo
Ao lembrar

Do dia
Em que serão retirados
Dos dias
Que me serão retirados

2 comentários:

Tati disse...

Nossa, adorei!!! vc com poesia tem uma coisa.. gosto demias... de verdade.
Velha amiga, Tati

Eilor Marigo disse...

Obrigado, velha amiga... de verdade.
Acho que o ritmo da poesia, por ser musical e eu gostar muito, ajudam minha inspiração.
A poesia é a escrita de momento para mim!
Mas tenho que confessar que prefiro os textos em prosa.
Não sei o que me dá de preferir a prosa se minha poesia é melhor, mas enfim... qual cozinheiro gosta mais dos próprios pratos que dos outros?
Beijos!