sábado, julho 03, 2010

Brasil

Nosso país tem uma característica curiosa que noto a cada quatro anos, quando chega a Copa do Mundo.

Vejo pessoas tirando suas camisas da sorte do armário, pendurando suas bandeirinhas no carro e na porta de casa, passeando felizes com suas bolsas e apetrechos verde-amarelos por aí.

É a febre do futebol.

É bonito vermos todos de verde-amarelo, saindo do trabalho e atravessando a rua. Gente fazendo barulho com suas cornetas, indo assistir aos jogos.

Mas quanto dessa paixão verde-amarela é fruto da paixão pelo Brasil e quanto é fruto da paixão pelo futebol?

O motivo dessa questão fica bem evidente depois de cada jogo: Quando a campanha é vitoriosa, vejo frases de apoio, gritaria nas ruas com a felicidade de toda uma nação. Quando o país perde um jogo ou mesmo empata, vemos muito estresse e reclamação!

Mas, pior do que ver todo esse estresse é perceber que logo após a derrota as bandeiras são novamente guardadas, as camisas voltam para as gavetas e o país todo perde suas cores.

É paixão pela pátria ou paixão pela bola?

Após a derrota do Brasil na Copa tantos apontam o dedo, procuram os culpados. Chamam o técnico de burro e os jogadores molengas.

O país entra numa depressão de perdedor que dá tristeza!

Nosso país é o maior representante do futebol no mundo ou o futebol é o maior representante do nosso país para nós mesmos?

O Brasil é pentacampeão da Copa do Mundo de Futebol... e, mesmo assim, é triste de se ver quando algo sai errado.

E mais triste ainda para mim é ver nossas bandeiras sumirem dos lares, das roupas, dos carros, do peito de cada brasileiro.

Copa do Mundo à parte, Brasil, precisamos curar toda essa baixa auto-estima, que joga no chão nossas cores à primeira derrota.

Todo amor dos nossos está com a bola ou com a nação?

Por isso, hoje vou postar aqui no Blog esse texto com a bandeira do Brasil assim, bem grande como ela merece. Copa do Mundo à parte, ela deveria estar o tempo todo nos lares, nas camisas, nos apetrechos, no dia-a-dia de cada um...

Amor e orgulho de ser o que sou: Bra-si-lei-ro!

2 comentários:

Gustavo disse...

Levantou uma boa bola...
Patriotismo de 4 em 4 anos é uma tristeza, realmente.

Este é o Brasil que não sabe definir e ter orgulho de seus heróis, independentemente do futebol.
Em todas as copas o povo busca um motivo maior para ter orgulho dessa terra, mas esquece de todos os outros motivos que deveria carregar consigo.

Eilor Marigo disse...

Perfeito.
Obrigado pelo comentário, Gustavo!
Abraços!