segunda-feira, junho 07, 2010

O Jogo da Vida

Ao final, apenas responda sim ou não.


O diabo lhe convida para jogar contra ele, o jogo que você escolher, apostando sua felicidade.

Porém a aposta não é ser feliz ou infeliz: se ganhar realizará seus maiores sonhos e será mais feliz do que jamais imaginou. Se perder levará uma vida mediana, sem outras chances de realizar seus sonhos mais profundos e terá apenas o essencial para tocar em frente.

Sempre vejo as pessoas questionando e comparando ser rico ou pobre, feliz ou infeliz, mas e se elevarmos o nível um pouquinho? Se compararmos uma vida mediana e quase satisfatória com uma vida verdadeiramente completa, quem arriscaria isso numa única jogada?

Sempre me pareceu mais fácil decidir entre apostar ou não se o resultado for, por exemplo, ser muito feliz ou definhar de tristeza. Não é uma troca justa e acredito que apenas algumas poucas pessoas que conheço realmente topariam essa parada. Mas e se a aposta for uma chance única de sair do mediano e ir direto para o sucesso na vida? Se a derrota não for algo tão horrível, mas que impossibilite de qualquer outra maneira alcançar o seu máximo?

Há quem diga que arriscar tudo numa única jogada significa não se dar uma segunda chance. Já ouvi também dizerem que ter a chance de agarrar a felicidade com as duas mãos e não tentar é a perda de uma oportunidade que pode ser única.

O diabo que, como dizem, gosta tanto de um jogo e não recusa um desafio seria seu adversário. E para os descrentes da justiça de um bom jogo contra ele, Deus seria o juiz.

É risco ou é oportunidade!

E aí o diabo perguntou para você:

- Dá para encarar um jogo desses?!

Um comentário: