sábado, janeiro 09, 2010

Construção

No começo eram brinquedos
Dedos cuidadosos que criavam carrinhos de sucata e aviões com palitos de sorvete e lacres de latinhas de refrigerante.
Não eram simples brinquedos de criança, eram incrivelmente planejados e executados.
Eram mais.

Depois vieram os blocos de montar, os barcos e aviões de armar, com suas pinturas e adesivos.
E nunca eram os mais simples, mas aqueles que exigiam perícia e cuidado, com peças que pediam pinças e lupas para criar modelos com mais de um metro de altura.
Não eram apenas brinquedos difíceis de armar.
Eram mais.

Então vieram os videogames.
Sempre aqueles de aviação, combate, corrida ou jogos de estratégia onde dedicar muito estudo e tempo.
Importante era ter o melhor carro de todos, uma centena de aviões abatidos e mais uma dezena na minha cola, exércitos arrebatadores e reinos sem concorrência.
Não eram apenas jogos de adolescente.
Eram mais.

Aí vieram os estudos.
Não dava para entender metade, muito menos para entender o que se pedia.
As notas não importavam, mas as descobertas tinham que ser enormes. Os dedos doíam de anotar insights nos bloquinhos que ficam até hoje na mochila.
Teve história, arte, ficção científica, religião, arquitetura, música e economia.
Não apenas livros e pesquisas infindáveis.
Eram mais.

Os relacionamentos sempre prioritários, fortes.
Não há espaço para pouca intimidade e desconfiança, tudo sempre muito concreto.
E não ser apenas bonito. Tem que ser o mais romântico, o mais intenso, sem chance para qualquer infidelidade, sem chance para qualquer filme.
Não eram apenas a reciprocidade e a paixão, muito verdadeiras.
Eram mais.

Então comecei a escrever como um louco.
Pôr no papel todas as minhas idéias e sentimentos.
Poemas dolorosos e maquiavélicos, textos tirados de sonhos, pensamentos, viúvas ricas que passeiam pelos jardins e um dado Barão Vermelho.
São belas palavras de amor e de ressentimento.
E não apenas razão, loucura ou alegria.
Eram muito mais.

Não eram simples brinquedos de criança
Não eram apenas a reciprocidade e a paixão, muito verdadeiras.
Não eram apenas jogos de adolescente.
Não apenas livros e pesquisas infindáveis.
E não apenas razão, loucura ou alegria.

É a história de uma vida inteira,
da busca pelo certo.
Apenas brinquedos difíceis de armar.

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Eilor!

Tenho lido seu blog. Gosto do seu jeito de escrever! =]
Muito sucesso, querido!

Beijos,

Helo

Eilor Marigo disse...

Oi Helô!
Obrigado!
É sempre muito legal saber quem acompanha o Colhendo Bons Ventos, fico muito contente.
Dê suas opiniões sobre os textos, críticas, reclamações, elogios... é sempre bom melhorar!
Obrigado e beijocas!

Hoje é disse...

Olá Eilor!

A equipe do site “Viva Hoje e Sempre” selecionou seu blog como sendo o melhor blog para o dia 17 de janeiro, dia de Colher Bons Frutos.

Nosso objetivo é fazer com que as pessoas se lembrem de que a vida é cheia de pequenos momentos especiais e que não podemos deixá-los passar em branco. O seu blog nos ajuda a transmitir essa mensagem, por isso ele faz parte de nossa galeria de dicas para viver melhor hoje e sempre. Parabéns!

Gostaríamos que você entrasse em contato conosco via e-mail para que possamos enviar o selinho que os blogs indicados pela campanha costumam usar. É legal porque ajuda a divulgar a idéia do site de promover os próprios blogs e ainda auxilia nossa equipe a reconhecer vocês.

Estamos aguardando!

Um grande abraço,

Equipe “Viva hoje e sempre!”
www.vivahojeesempre.com.br
vivahojeesempre@gmail.com
http://twitter.com/hojeeodia

Eilor Marigo disse...

Poxa, que legal o reconhecimento. Eu e o Colhendo Bons Ventos estamos muito contentes!
Em breve colocarei o selo aqui.
Obrigado!

Nicole disse...

Muito legal!!!

Parabéns!!

Ma disse...

Que lindo!
Voce, seus textos, e agora seu reconhecimento...
Cada vez mais me orgulho de voce!
Parabens e continue escrevendo suas emoçoès, seus pensamentos,pois isso tudo é voce de verdade!
Te amo por isso,por mais,por tudo!
Beijo
Madre